Já conheces o meu livro?

Newsletter

Search

back to top

Amar sem medos

Fecha os olhos. Ouve a melodia. Sente.

Deixa que o teu pensamento vá aonde o teu coração quer. Liberta-te. Deixa que a melodia dance com as tuas emoções, entrelaçando-se nelas, agitando-se num movimento seguro a dois. Deixa que o calor de cada uma te abrace o coração. Sente-o quente, a bater, a querer ser enorme dentro do teu peito, a querer despontar fronteiras, a querer ser livre. O teu coração que bate, uma vez após a outra, com a certeza de que, na vida, a única certeza possível é a de que temos de aproveitar cada instante, cada oportunidade, cada mão que nos é estendida.

Fecha os olhos. Ouve a melodia. Sente.

És livre dentro do teu corpo. És livre nos teus pensamentos e emoções. És livre nos sentimentos que queres guardar e nos que escolhes viver. És livre em cada escolha que fazes, mesmo quando essa liberdade te parece camuflada por uma obrigação qualquer. És livre nos gestos, na suavidade com que encaras a vida, na beleza que lhe tentas sempre encontrar, nos gestos brandos e doces com que queres abraçar cada momento precioso. És livre na certeza de que a maior liberdade de todas é a de seres livre para sentir — e que sentir, só sentir, sentir com verdade, é a única forma de fazeres jus ao privilégio que é viver.

Fecha os olhos. Ouve a melodia. Sente.

Não tenhas medo. Não tenhas medo de te redescobrir. Não tenhas medo das tuas emoções — sobretudo, das que te fervem no peito, das que parecem explodir na tua garganta, das que te fazem faltar o ar. Sobretudo, dessas: não tenhas medo. Elas só existem porque te permitiste viver. Elas só existem porque, dentro de ti, há um mundo inteiro por explorar e uma vontade genuína de te entregares à vida — dessa forma inteira de que precisas, acreditando que é na forma como nos damos, e como aceitamos o outro, como amamos e permitimos que nos amem de volta, que está o nosso verdadeiro caráter e a mais pura essência de que somos feitos. Aquilo que nos define.

Fecha os olhos. Ouve a melodia. Sente.

Aceita que o futuro ninguém sabe, mas que isso, na verdade, pouco importa. O que importa mesmo, o que importa tanto, o que importa tudo, é sermos fiéis ao que sentimos. É termos a ousadia de seguir o coração.

E recomeçar quando tivermos de recomeçar. E falhar quando tivermos de falhar, com a certeza de que também iremos acertar muitas vezes.

Amar tudo o que tivermos para amar. E permitir que nos amem de volta.

Sem medos. Sem reservas. Sem ses.

Fecha os olhos. Ouve a melodia. Sente.

Deixa-te ir.

Eu sou a Laura. Sou freelancer em desenho gráfico, ilustração, web design e gestão de redes sociais. Sou também autora de um livro que fala de amor, blogger e uma fervorosa contadora de histórias. Vivo em Londres desde 2013 e sou absolutamente apaixonada pelo meu trabalho. É nas pessoas, nos lugares e nos pequenos prazeres da vida que encontro a maior fonte de inspiração.

[email protected]

3 Comments

  • Quinta-feira, 10 Janeiro 2019
    reply

    António

    Fechei os olhos e senti… https://youtu.be/XB97k312nDw

  • Sexta-feira, 11 Janeiro 2019
    reply

    Telma Braga

    Amar sem medos… os retalhos mais genuínos das nossas vidas. 😌 Normalmente breves, impossíveis… mas de uma autenticidade esmagadora. Amor de almas.❤

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: