Já conheces o meu livro?

Newsletter

Search

back to top

Crónicas

Sou fascinada por pessoas, pelas suas histórias e emoções. Intrigam-me os detalhes de que somos feitos e talvez por isso goste tanto de observar o que me rodeia e de refletir sobre ele. Perco-me no prazer que as coisas mais simples me dão, como uma esplanada ao sol, um abraço demorado, uma conversa sem horas e uma janela cheia de luz. Faço malabarismos para virar do avesso emoções complexas e íntimas e falar delas com a maior simplicidade e lucidez que consigo. Escrevo crónicas sobre a vida, e o mundo, para encurtar a distância que existe entre todos nós — mas, sobretudo, para encurtar a distância entre mim e o mundo. Sou parte dele e ele é parte de mim. Quase sem nos apercebermos, todos somos um pouco parte uns dos outros.

Ouve, com calma, o teu coração

Um dia, apercebes-te de que algo mudou em ti. Já não te sentes tão feliz como te sentias antes. E não se trata de teres, ou não, uma vida boa — a tal vida que outros gostariam de ter. [...] Às vezes, é só isto: algo, em ti, …

Respira fundo: a vida sabe o que faz

Apesar de tudo, de todos os altos e baixos que a vida tem, de todos os contratempos, de todas as aventuras, de todos os desafios, de todas as dificuldades, de todas as decisões que não sabemos se são as mais certas no momento em que as tomamos, quero …

A paixão arrebatadora da Alice

Conheci a Alice há uns anos — a Alice que, por razões óbvias, tem outro nome na vida real. Entre tantas mensagens, que habitualmente recebo de quem me lê por aqui, houve um dia em que recebi uma da Alice. [...] A Alice sentia-se fora de si. Tinha …

Quando perdemos alguém…

Aprendemos a viver com as lágrimas a quererem sair-nos do peito, mas sem conseguirem. Elas estão aqui dentro, algures. Nós sentimo-las. Porque nos dói. Mas não saem.

Ser feliz é uma atitude

Ser feliz não é só um estado, uma emoção de momento. Ser feliz é uma atitude. É uma atitude que tomamos em relação aos outros, em relação à vida, mas, sobretudo, em relação a nós. Ser feliz é feito de momentos, mas, acima de tudo, é feito de …

O amor é lindo, mas só às vezes

Quando se ama, aguenta-se tudo. O que veio, o que foi e o que há de vir. O que se imaginou e o que nunca se imaginou. O que nos torna melhores e o que nos mostra o pior de nós. Quando se ama, perdoa-se. Quando se ama, …

Tu não estás só!

Hoje, este texto é para ti, que teimas em fazer-te de forte mesmo quando a dor te aperta por dentro, e que achas que terás sempre capacidade para suportar tudo.

Tu mereces ser feliz!

Nada, nem ninguém, merece que abdiques do teu amor próprio, que recues no teu caminho — que desistas de ser feliz. Nada, nem ninguém, merece que supliques por atenção, por reconhecimento, por amizade ou por amor.

Há dias em que morremos

Nestes dias, temos esta certeza absoluta de que vamos morrer antes do tempo, porque levámos metade do tempo que passou a adiar aquilo que queríamos fazer. E, por isso, nunca será a altura certa para morrermos. Nunca.

O que levamos no coração*

Uma mala de viagem não chega para uma viagem destas. Em momento algum. Porque o que levamos dentro de uma mala são apenas acessórios. Aquilo de que precisamos, verdadeiramente, numa viagem destas é do que levamos em nós. [...] É acreditar que não será fácil, e que haverão …

A ti, que ainda pensas nele*

Já passou tanto tempo. Mas, todos os dias, lembras-te dele. É mais forte do que tu, não é? Ele pode já não estar presente. Ele pode ter escolhido a vida sem ti. Ele pode ter-te virado as costas. E virou, e escolheu, e já não está presente — …

Gosto de sentir

Gosto de sentir. Mas, sobretudo, gosto de pensar que tudo o que sentimos vale a pena. Por isso, prefiro não catalogar as emoções de apenas boas ou más. Algumas doem. Nem todas são felizes. É um facto. Mas todas são importantes. De todas podemos extrair algo bom.

O que me custa não é escrever sobre emoções

Este fim de semana, em conversa com um familiar, falávamos disto de escrever. Dos motivos que nos levam a fazê-lo. Dos temas sobre os quais escrevemos. Da dificuldade com que abordamos determinados assuntos não apenas num blogue, mas na vida em geral.

Portugal: do que sinto mais falta

Vivo há mais de quatro anos em Londres. Venho a Portugal, em média, de dois em dois meses. Às vezes, mais. Outras, menos. Neste momento, estou cá, em Lisboa. Por isso, volta e meia, lá vem a pergunta: «Do que é que sentes mais falta?»

Eu marco-te a ti, tu marcas-me a mim, e a vida continua

Deixamos um no outro um pedaço de quem somos, do que sentimos, do sentido mais íntimo da nossa existência, como se abríssemos o nosso coração ao meio e dele retirássemos um pedaço enorme de nós para dar ao outro. E deixamos de estar inteiros. Esse pedaço deixa de …

Sonhar é importante

Desde pequenos que nos ensinaram a sonhar. "Apaga a vela e pede um desejo", diziam-nos. Porque os desejos podiam tornar-se realidade. Só por serem pedidos com muita força. Mas, se, quando tinha cinco anos, acreditava que sonhar bastava, agora naturalmente sei que não.

Sou apaixonada pelo que é simples

Sou apaixonada pelo que é simples. E pelos detalhes que, embora quase passando despercebidos, ficam em mim: na minha memória, no meu sorriso enternecido, no meu olhar doce e brilhante. De uma forma feliz, tão genuína e simples.

É aqui o meu lugar

É verdade que termos algo ali à mão, todos os dias, faz com que nos habituemos ao que temos. Isso leva-nos a não o questionar, a aceitá-lo como parte dos nossos dias. É bom, sabe bem, faz-nos felizes e nós aceitamo-lo. E não se fala mais nisso.

Gostas do que leste?

Subscreve os meus emails para saberes sempre quando um novo texto é publicado — para receberes as novidades na tua caixa de e-mail, mas também para encurtar a distância entre nós. Para tu saberes de mim. Para eu saber de ti. Para trocarmos ideias. Para conversarmos mais informalmente.

Outros temas que podes ler por aqui

Histórias de amor
Dicas para bloggers
Viver em Londres
Histórias de amor
Dicas para bloggers
Viver em Londres