Já conheces o meu livro?

Newsletter

Search

back to top

Histórias de amor

Gosto de [re]contar histórias — histórias de coração a ferver e de emoções que parecem transbordar do peito. Algumas são feitas de personagens e contextos que imagino. Outras são histórias daqui e dali, vividas pela amiga, o vizinho, a avó, a leitora, o amigo e até por mim. Ficção ou realidade, todas têm algo em comum: levam dentro emoções de que todos, sem exceção, somos feitos — em algum momento da nossa vida. Gosto de [re]contar histórias que têm dentro um pouquinho de todos nós.

A idade é assim

A idade não me prende as pernas. A idade não me faz esquecer de que ainda gosto de me rir de mim própria e, sobretudo, comigo.

Faz falta um amor

Faz falta um amor. Um amor que altere a nossa vida. Um amor que faça a diferença. Um amor que nos marque, independentemente do tempo, mais do que qualquer outro.

Ao meu lado

Quero ao meu lado alguém que sinta que a vida começou connosco. A dele. A minha. Alguém que acredite que vamos ficar juntos para sempre, mesmo que o mais provável seja não ficarmos.

Uma flor

Lembro-me de ter pensado que, de repente, tinha o coração maior do que o corpo e que lhe sentia os batimentos a latejar na minha garganta, como se todo eu estivesse prestes a explodir. Percebi, ali, do que era feito o amor à primeira vista que já via …

Até ao fim

[...] nunca te esqueças de uma coisa: a capacidade de brilhar não depende da idade. A capacidade de brilhar é intemporal. Não precisa de mais nada, nem de mais ninguém: só de ti. A capacidade de brilhar é uma consequência, única e exclusiva, da forma como lidas com …

Saudade

De que tamanho é a saudade daquilo que vivemos, um dia, e que sabemos que não volta nunca mais? De que tamanho é o coração que tem a capacidade de a tolerar, durante anos, como se cada ano fosse somente mais um dia?

Amar sem medos

Não tenhas medo. Não tenhas medo das tuas emoções — sobretudo, das que te fervem no peito, das que parecem explodir na tua garganta, das que te fazem faltar o ar. Sobretudo, dessas: não tenhas medo. Elas só existem porque te permitiste viver. Elas só existem porque, dentro …

Em bicos dos pés

São os pequenos momentos que contam. Os que surgem de improviso, sem aviso, porque sim. Aqueles que não se regulam por regras, por tempos, e que não têm sequer tempo para andarem preocupados com o que os outros pensam.

Gostas do que leste?

Subscreve os meus emails para saberes sempre quando um novo texto é publicado — para receberes as novidades na tua caixa de e-mail, mas também para encurtar a distância entre nós. Para tu saberes de mim. Para eu saber de ti. Para trocarmos ideias. Para conversarmos mais informalmente.

Outros temas que podes ler por aqui

Crónicas
Dicas para bloggers
Viver em Londres

Outros temas que podes ler por aqui

Crónicas
Dicas para bloggers
Viver em Londres