Já conheces o meu livro?

Newsletter

Search

back to top
Tu mereces ser feliz

Tu mereces ser feliz!

Tempo de leitura: 2 minutos

Ser feliz não é fácil. Há dias em que sentes que nada do que fazes está certo, nada do que sentes é o mais indicado para ti, nada do que dizes é bem recebido pelos outros, nada do que escolhes é o melhor para a tua vida. Todas as decisões parecem difíceis. Todos os silêncios te pesam. As emoções são demasiadas em ti. E atordoam-te.

Nesses dias, fazes uma força tremenda para tentar resistir à tristeza, para enfrentar os teus medos, para acalmar a angústia que te desorienta e afastar de ti todos os pensamentos negativos, corrosivos. E eles são tantos, que há momentos em que até acreditas que vão tomar conta de ti e da tua vida. Que nunca mais voltarás a sentir-te genuinamente feliz.

Nesses dias, mais do que em quaisquer outros dias, precisas de uma força que já não sabes se tens. Precisas de resistir. Precisas de aguentar. Precisas de erguer a cabeça e ser capaz de relativizar. Porque a dor dói muito. E tu, por mais que queiras, não sabes o que fazer com ela.

Ser feliz não é fácil. Há dias em que sentes que não consegues sê-lo. Pior: há dias em que não sabes se mereces sê-lo. E é nesses dias que precisas de aprender a virar as tuas costas à dor. É nesses dias que precisas de aprender a evitar o que te angústia, o que te mói, o que te diminui. Nesses, em que só apetece o silêncio, a dor e o choro, precisas de aprender a substituir, aos poucos, o silêncio pela melodia, a escuridão pela luz. E sair à rua mesmo quando só te apetece esquecer o mundo. E sorrir, mesmo que, ao início, apenas consigas fazer um sorriso forçado. Porque é nesta tentativa de resistir, de suportar, de ultrapassar a dor, que pouco a pouco vais aprendendo a sentir-te feliz. De novo.

Se a vida te tem ensinado que a dor consegue doer muito, ela também te tem ensinando que nada, nem ninguém merece que baixes os braços. Nada, nem ninguém, merece que abdiques do teu amor próprio, que recues no teu caminho — que desistas de ser feliz. Nada, nem ninguém, merece que supliques por atenção, por reconhecimento, por amizade ou por amor. Nada. Nem ninguém.

E tu mereces tanto ser feliz.

Não é agora que vais desistir, pois não?


Fotografia © Laura Azevedo

Eu sou a Laura. Sou designer gráfico, ilustradora e UI/UX designer. Sou também autora de um livro que fala de amor, blogger e uma fervorosa contadora de histórias. Vivo em Londres desde 2013 e sou absolutamente apaixonada pelo meu trabalho. É nas pessoas, nos lugares e nos pequenos prazeres da vida que encontro a maior fonte de inspiração.

[email protected]

No Comments

Deixa aqui o teu comentário... e vamos conversar!

%d bloggers like this: